sapinho em bebês
Sem categoria

Sapinho em bebês

------------ Espalhe amor #compartilhe ------------
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

sapinho em bebês

O que é?

O nome científico do sapinho é monilíase. Trata-se de uma infecção causada por um fungo chamado candida albicans, o mesmo da candidíase.

Ele pode aparecer na boca – língua, gengivas, parte interna das bochechas e até nos lábios – ou na região perineal, a área que é coberta pela fralda.

As lesões da candidíase oral são mais comuns nas laterais da boca, e às vezes doem bastante. O primeiro sinal pode ser o fato de o bebê chorar quando mama ou quando chupa a chupeta. Outras vezes, porém, o bebê pode não dar grandes indicações de dor ou irritabilidade, mas o aleitamento fica prejudicado.

Caso você desconfie que seu filho está com sapinho, procure as placas brancas características do problema. Lave bem as mãos, cubra o dedo com uma gaze e toque numa das lesões, para ver se ela sai. Muitas vezes ela não sai, mas, se sair, deixará uma área bem vermelha no local onde estava, e pode sangrar um pouco.

No períneo, ele costuma se manifestar na forma de bolinhas avermelhadas. Elas normalmente não geram incômodo, mas, em casos mais graves, podem causar dor, irritação e coceira.

Quais são as causas?

O fungo está presente no sistema digestivo de todo mundo, mas, quando há um desequilíbrio, essa presença se transforma em infecção. Os principais causadores desse desequilíbrio são mudanças hormonais ou o uso de antibióticos — seja pelo bebê ou pela mãe, no caso de criança que mama no peito, uso de chupetas ou mamadeiras.

Em que idade o sapinho ataca com mais frequência?

Enquanto a criança se valer de mamadeiras, chupetas e fraldas, há o risco de a infecção aparecer. Mas os bebês nos primeiros meses de vida estão mais sujeitos pelo fato de ainda não terem o sistema imunológico totalmente desenvolvido. Além disso, os pequenos têm o hábito de botar tudo o que veem pela frente na boca, um comportamento de risco quando o assunto é sapinho.

Leia mais:  O que o parceiro pode fazer durante a gravidez da sua mulher?

Como evitar?

Para o bebê, use uma gaze com um pouco de água filtrada e fervida (fria ou em temperatura ambiente) depois de cada mamada, para eliminar os resíduos de leite. A esterilização frequente de chupetas e mamadeiras também pode ajudar.

É importante estar sempre atento à higienização de tudo o que vai à boca do bebê. Além disso, arejar áreas cobertas pela fralda também ajuda no combate à formação de ambientes amistosos ao fungo. O ideal é trocar a fralda sempre que estiver úmida.

Para as mães que amamentam, deixar os mamilos tomarem um pouco de ar entre as mamadas ajuda a evitar a micose, e a medida é especialmente importante quando já se está com a infecção — a umidade é o ambiente ideal para a proliferação dos fungos.

Fique alerta para a candidíase se o bebê estiver tomando antibióticos — e você também, no caso de amamentar. Os antibióticos matam as bactérias ruins, mas também as boas, que existem naturalmente no corpo. Isso pode favorecer o surgimento da infecção por cândida..

Como é o tratamento?

Consulte o pediatra se achar que seu filho está com sapinho. Ele pode receitar um medicamento antifúngico. A infecção leva até uma semana para ir embora. Às vezes os médicos recomendam a aplicação de uma pomada antifúngica nos mamilos da mulher caso ela esteja amamentando, para que a infecção não fique passando do bebê para a mãe e da mãe para o bebê.

Sem confusão

Algumas pessoas ficam com receio quando veem uma criança com sapinho e pensam que se trata de herpes.
“Muitas vezes há alguma confusão entre a candidíase e o herpes, porém as lesões são diferentes, sendo que a herpes nos bebês costuma se apresentar com lesões bolhosas e muita dor.

 

Fonte: Site Chris Flores / Babycenter / bebe.com.br

Foto: http://www.parents.com/

 

Cuidados com bebê recém-nascido


------------ Espalhe amor #compartilhe ------------
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Estilista, empreendedora e mãe de 2 crianças lindas, idealizei o blog em 2013 quando senti dificuldades de informações e temas variados em um único site. Hoje o blog virou revista, interagindo com a movimentação de informações e dicas pesquisadas com carinho para passar para minhas seguidoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *