Bebe chorando
Sem categoria

11 dicas para aliviar a cólica do bebê.

------------ Espalhe amor #compartilhe ------------
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Bebe chorando

Foto: Guia do Bebê/ Google Image

A maioria dos bebês sentem cólicas, graças a Deus minha filha a Madú não teve muitas crises, mas quando era inevitável tentava amenizar. O problema acontece porque nos três primeiros meses de vida a criança ainda não tem o sistema digestivo completamente formado. Os movimentos que empurram o bolo fecal para baixo são desordenados e dolorosos.

Outro fator que costuma causar cólicas em recém-nascidos é a fermentação do leite no estômago ou alimentação inadequada da mãe. Com alguns cuidados, as mamães aumentam o bem estar do bebê. Converse com o pediatra de sua confiança, ele pode ter outras dicas e ainda irá tirar todas as suas dúvidas.

1- Se você estiver amamentando, continue… 

O Leite materno é fundamental para o desenvolvimento da criança. Além disso, ajuda a diminuir os gases, já que ele fermenta menos que os leites artificiais ou de vaca.

Amamentar no seio também não exige que o bebê tenha que abrir muito a boquinha, como acontece com o bico da mamadeira. Assim ele engole menos ar, diminuindo os gases e as cólicas.

A estimulação oral que decorre do movimento de sucção é uma fonte de satisfação que ajuda a amenizar a cólica. Mas se você não amamenta, não se preocupe, abaixo selecionamos outros meios de aliviar esse incomodo.

2 – Faça o bebê arrotar

A quantidade de ar que o bebê engole a cada mamada pode provocar gases e agravar a cólica. Por isso, é indispensável fazer a criança arrotar para expelir o ar engolido durante a amamentação. Para os pequenos que não mamam no peito, existem mamadeiras especialmente projetadas para evitar a cólica.

3 – Alimente-se bem

Muitas coisas que as mães comem são transmitidas aos bebês através do leite. Por isso é fundamental que quem está amamentando não descuide da alimentação. Você sabia que há alimentos, que embora sejam nutritivos, podem alterar o sabor do leite ou causar desconforto ao bebê? Couve-flor, cebola, brócolis e repolho são alguns deles.

Já leites e seus derivados são possíveis causadores de alergias no bebê. Alimentos com cafeína, como o chocolate, aumentam a produção de serotonina que pode resultar em aumento dos movimentos intestinais do recém-nascido. Leguminosas também não são recomendadas por aumentar a produção de gases. Converse com um especialista para tirar todas as dúvidas sobre alimentação e a influência dela sobre seu bebê.

4 – Enrole o pequeno no cueiro

Ao envolver o corpo do bebê como se fosse um pacotinho, o cueiro proporciona uma sensação de aconchego e segurança e diminui a irritabilidade e a agitação da criança.

Outro expediente simples é distrair o bebê com uma caminhada pela casa, segurando-o de bruços, com a barriguinha apoiada nas suas mãos – esse contato aquece o abdome e traz o conforto do toque.

5 – Flexione as perninhas do bebê

Flexione as perninhas dele contra o peito e faça movimentos como se ele estivesse pedalando. A ação irá ajudar a liberar os gases que causam desconforto e dores.

6 – Massagens na barriguinha também ajuda

Ao perceber o desconforto da criança, acaricie a barriga do bebê com movimentos circulares no sentido horário. “Com as mãos em concha, deslize uma de cada vez pela barriga da criança, partindo da base das costelas em direção ao púbis. O toque deve exercer uma pressão suave.

Leia mais:  Saiba como evitar as crises de alergias respiratórias

7 – Contato pele a pele

Quando deitado de bruços sobre o peito do pai ou da mãe, o bebê consegue expelir mais facilmente os gases que o incomodam e agravam a cólica. “Se puder, aqueça levemente o quarto para o pequeno não sentir frio. Tire sua blusa e a roupa dele, deixando-o apenas com a fralda. O contato pele com pele aconchega, enquanto o cheiro e a voz da mãe ou do pai transmitem calma e segurança.

8 – Faça compressa

Passe uma fralda a ferro e coloque-a ainda quente sobre a barriga da criança (verifique antes a temperatura na sua pele) ou use uma bolsa térmica com água morna. O calor favorece a vasodilatação, facilita o fluxo sanguíneo e relaxa a musculatura, diminuindo o desconforto abdominal. “Tenha o cuidado de testar a temperatura do tecido ou da bolsa para não queimar a pele delicada do bebê.

9 – Prepare um banho quentinho

Prepare um banho de imersão regulando a temperatura da água entre 36ºC e 37ºC. Cuide para que o ambiente esteja silencioso e, se possível, coloque uma música suave tocando baixinho. Diminua a luz e converse com seu filho ou cante para ele.”A percepção de uma atmosfera calma ao redor tranquiliza o bebê, e a água na temperatura do corpo proporciona uma sensação muito próxima à que a criança experimentava no útero. É uma experiência que a faz relaxar e, com isso, a cólica cede.

10 – Saia de cena e acalme-se

As cólicas e seu choro típico podem durar horas. Enquanto tenta acabar com o sofrimento do pequeno, a mãe muitas vezes fica tensa e nem se dá conta disso. Começa, então, um círculo vicioso: o bebê, supersensível, percebe a impaciência da mãe, fica inseguro e reage sentindo mais dor. Ela segue com os cuidados e, sem sucesso, vai entrando em pânico. Antes de perder o controle da situação, é melhor pedir ajuda e sair de cena. Nesse momento, como ensina Sandra, o pai pode ser um santo remédio, assumindo o posto até que você se recupere. Depois de um banho, de uma boa refeição, de alguns momentos em silêncio e já recomposta, será mais fácil voltar a cuidar do filho.

11 – Em último caso, medique

Com tantos avanços da medicina, não existe remédio para tal sofrimento? Sim, os pais podem contar com os analgésicos infantis e com os medicamentos antiflatulência, mas apenas os que são receitados pelo pediatra e, principalmente, só na hora da cólica. “Esses remédios não têm efeito preventivo. E é bom lembrar que todo medicamento apresenta contraindicações.

Fontes: saude.consultaclick e mdemulher.abril.com.br

Foto: Guia do Bebê/ Google Image

Cuidados com bebê recém-nascido


------------ Espalhe amor #compartilhe ------------
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Estilista, empreendedora e mãe de 2 crianças lindas, idealizei o blog em 2013 quando senti dificuldades de informações e temas variados em um único site. Hoje o blog virou revista, interagindo com a movimentação de informações e dicas pesquisadas com carinho para passar para minhas seguidoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *