Sem categoria

Por que a amamentação noturna é tão importante?

------------ Espalhe amor #compartilhe ------------
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share

amamentação noturna

Foto: @somethingrad / Twyla Jones Photography

É um marco da evolução que as mães atendam ao choro de seus bebês

Os bebês acordam e mamam a noite porque é intenção da natureza que eles o façam. Bebês amamentados ao seio o fazem mais frequentemente que os que tomam a fórmula pois o leite materno é de digerido mais rapidamente, deixando-os assim com fome em intervalos menores. Quando os colocamos de volta a dormir mamando, não estão apenas satisfazendo sua fome, mas também estamos deixando que saibam que estão seguros e que seu choro será atendido. Estamos construindo uma relação de confiança com nossos bebês baseada em respeito e resposta. 

A importância da amamentação noturna

Esta acordada noturna natural geralmente exige muito das mães, às vezes, na melhor das intenções elas dão fórmula aos bebês antes de dormir na esperança de que eles durmam mais. No entanto, mamadas noturnas são muito importantes para “informar às mamas” quanto de leite será necessário produzir para atender a demanda daquele bebê para o dia seguinte. Quando uma mãe não amamenta durante a noite, ela arrisca ter sua produção de leite diminuída até o ponto de não poder continuar amamentando. Se uma mulher não estiver produzindo leite suficiente e não estiver amamentando a noite, ela pode fazer cama compartilhada com seu filho e amamentá-lo na espera de aumentar sua produção.

Prolactina

Prolactina, o hormônio responsável por ajudar as células alveolares no seio para fazer leite, é liberada pela glândula pituitária durante a apojadura. Pesquisas mostraram que o nível de prolactina no leite materno é maior durante o período de maior produção de leite e que os maiores níveis de prolactina ocorrem no meio da noite. Em oposição, os níveis de prolactina são menores quando o seio está ingurgitado, isto significa que os que mamam em livre demanda mamarão na freqüência correta assegurando adequada produção de leite para sua própria necessidade de crescimento.

Prevenção da Síndrome da Morte Súbita em bebês

Acordadas noturnas são também uma maneira natural de prevenir a Síndrome da morte Súbita em Bebês.O bebê acorda para mamar e nós o atendemos. Arranjamos seu cobertor e sua posição, e amamentamos. Tudo isso é parte da prevenção da SIDS. Quando meu bebê não acordava a cada duas horas, eu ficava ansiosa e ia checar sua respiração. Às vezes ele acordava só por eu estar mexendo nele, mas se acontecia, eu ficava secretamente feliz, só por saber que ele estava bem.

Leia mais:  Erica Mantelli fala sobre a importância do pré-natal

A ciência da maternagem 

Mothering Magazine publicou um artigo sobre a”Ciência do Sono Compartilhado” em sua edição de Janeiro-Fevereiro de 2009. Na edição seguinte várias cartas à redação foram escritas sobre este artigo. Uma em particular chamou minha atenção e quero dividir dois trechos com vocês.Nesta carta, os autores do artigo “Ciência do sono Compartilhado” responderam às críticas de dois médicos que fazem parte da equipe do Balimore county Child Fatality Review, que revisa todas as mortes infantis do condado de Baltimore. Ambas as cartas são longas, porém é importante mencionar que os autores compartilham um resultado sobre as importantes diferenças nas quais mães que amamentam e mães que ofereçam fórmula se relacionam com seus bebês, comportamentalmente e psicologicamente. Eles fazem um excelente argumento contra compartilhar a cama entre bebês aleitados com formula e seus pais, pois estudos mostraram que esses pares não são sensíveis aos movimentos e barulhos uns dos outros e que suas posições para dormir eram diferentes e mais problemáticas para um sono seguro.O que mais chamou minha atenção foi esta citação: “se  isto for verdade, com uma pesquisa recente indica, que mães que amamentam são três vezes mais propensas a fazer cama compartilhada que mães que dão fórmula, cama compartilhada segura associada com amamentação poderia por si eventualmente ser estaticamente prova de proteger (da SIDS).”Portanto, cama compartilhada e amamentação noturna ajudam a prevenir SIDS, além de manter a produção adequada de leite assim como atender às necessidades de apego de seu filho. Espero que a próxima vez que estiver cansada e com olheiras lembre-se disso. Especialmente nas primeiras semanas, pode fazer toda a diferença do mundo para a saúde e bem estar de seu bebê.Quando feita com segurança, cama compartilhada é o melhor para mãe e bebê.

Referências: 

“The Breastfeeding Answer Book”, La Leche League, 2003.

“Diretrizes para cama compartilhada” do Attachent Parenting International.

Recomendo também o “Soluções para noites sem choro” da Elizabeth Pantley

Cuidados com bebê recém-nascido


------------ Espalhe amor #compartilhe ------------
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    1
    Share

Oie, eu sou a Fabi, mãe do Cauã e nutricionista clinica funcional com ênfase em atendimento materno infantil. Me formei em nutrição pela Universidade Federal do Espirito Santo (UFES) em 2012, fui direto pro atendimento clinico no meu consultório (La Nutri, localizado em Vitória/ES), onde 4 anos depois ainda estou, realizei minha pós graduação em Nutrição Funcional (VP/UNICSUL) e atualmente estou cursando uma extensão em prática em Materno Infantil em SP pelo grupo Gerar. Quando engravidei do Cauã nunca passava na minha cabeça trocar uma área que eu estava me solidificando (atuava com esporte) para trabalhar com crazy mommys e bebês deliciosos, até eu querer ser atendida por um nutri infantil e não conseguir. Hoje, fico grata as 2 respostas negativas (ou vácuos) que levei, pq sem elas talvez eu não teria me debulhado nesse universo delicioso que é a maternidade e seus infinitos artigos científicos relacionando a alimentação materna com o futuro do meu baby. Sem perceber, minha agenda passou a ser de grávidas, mães, bebês e até tentantes que querem começar com pé direito nessa jornada intensa. Tudo foi natural e confesso ter um bebê de 1 ano e 2 meses em casa me faz todos os dias colocar a teoria na prática, então minhas condutas não são baseadas apenas no que a literatura diz, mas no que eu prático e no que eu acredito dar certo no mundo real. Ser mãe é instintivo, ser nutricionista infantil também e torço pra dividir com vocês tudo isso da maneira mais pé no chão e real que conseguir. Boa caminhada pra todos nós juntinhos! :D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *