• Pinterest - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© 2019 Grávidas e Antenadas - Desenvolvido por PaAz Marketing Digital Express

  • Patricia Azevedo

EU NÃO SABIA QUE ESTAVA GRÁVIDA E ACABEI TENDO UM ABORDO

Todo mundo passa por momentos difíceis na vida, mas não esperava acontecer comigo.


Eu não sabia que estava grávida e acabei tendo um abordo espontâneo, tudo foi muito rápido e traumático. Estou fazendo terapia até hoje e me recuperando aos poucos.

Minha filhinha era para nascer essa semana e por isso resolvi compartilhar com você essa dolorosa experiência. Agora já consigo falar mais do assunto, analisar o que aconteceu embora ainda me emocione.


Eu não sabia que estava grávida, eu desconfiava na verdade, mas como fiz um teste de farmácia e deu negativo... acabei esquecendo! Minha menstruação continuou atrasada, mas como eu não tenho um ciclo regular, nem dei atenção.

Um certo dia, estava deitada com meu marido e brincando com a Madú (minha filhinha mais nova), senti minhas costas molhar do nada e ainda brinquei com meu marido e falei. "credo estou ficando bem doida mesmo, estou fazendo xixi na cama - pensa se tenho idade pra isso", o meu marido olhou pra mim e disse: "Não é xixi, é sangue!" e eu quase desmaiei de nervoso.

Minha cama ficou encharcada, parecia que eu tinha derramado um balde de sangue em cima, tivemos até que trocar o colchão. Foi horrível! Nunca tinha visto nada assim.

Corri para o banheiro, sentei na privada e minha hemorragia era muito intensa e cheia de nódulos, fiquei apavorada! Corremos para o pronto socorro e lá de cara já me lavaram para o médico avaliar. O médico falou que eu tive um aborto, mas ficou com dúvidas se meu aborto era espontâneo ou aborto químico (A gravidez química acontece quando há a fecundação do óvulo, porém não há nidação), ou seja, o óvulo não gruda na parede do útero. O exame de sangue dá positivo (porém baixo) e o exame de farmácia também, mas o beta não dobra após as primeiras 48H e a gravidez não evolui.

Os médicos ficaram com dúvida, já que meu teste de farmácia tinha registrado negativo, assim como o beta. Fiz vários exames, fiquei internada 24 horas e voltei para casa descansar, minha cabeça ficou atordoada, e eu só queria respostas.

Fui no meu Obstetra o Dr. Luis Carlos Dorgan Jr. fiz uma bateria de exames e de fato tive um aborto espontâneo, porque a minha gravidez estava um pouco avançada. De tanto sangue que perdi fiquei anêmica e tive que me dedicar no ferro.

É bem difícil passar por um aborto ainda mais quando se está tentando muito aumentar a família (sempre sonhei em ter três filhos), mas pelo menos papai do céu foi bondoso comigo e não foi preciso fazer curetagem, o aborto foi espontâneo e completo.

Eu tinha certeza que estava grávida de mais uma menina, coisas de coração de mãe sabe? Mas nunca vou saber na verdade. Fiquei muito triste e estou me recuperando com o passar do tempo, um dos motivos que me afastei do blog esse período foi este. Como tenho um blog de Gravidez, não queria falar muito sobre o assunto e soltava apenas posts curtos nas redes sociais. Agora quero voltar com tudo e ajudar as Grávidas e Antenadas com informações relevantes e de qualidade, pesquisas e dicas boas. Vamos arrasar!

Quero tirar coisas boas e levar pelo lado positivo de tudo isso, entender que Deus sabe o que faz e que nada é por acaso. Não somos perfeitos e não devemos nos envergonhar dos acontecimentos que passam em nossas vidas. Tenho muito que agradecer ao Senhor por ter me presenteado com dois filhos lindos e encantadores, bagunceiros kkk ok! 

Talvez você que esteja lendo este relato, não tenha passado por isso - Graças a Deus, mas se você passou deve saber o que senti e saber que o sofrimento de um coração de mãe é para sempre.

Logo abaixo vou dar algumas dicas para quem passou por isso recentemente ou ainda sofre com a experiencia. Continue lendo...


Converse com um médico sobre a recuperação. É fundamental procurar ajuda já nos primeiros indícios de um aborto espontâneo. A recuperação vai depender de sua saúde e também de quão avançada estava a gravidez.
  • Um exame de ultrassom provavelmente será feito para detectar o aborto. Há várias escolhas médicas disponíveis para a mulher. A certa vai depender da gravidez e de sua preferência.

  • Se não houver sinais de infecção, você pode deixar o aborto progredir naturalmente. Esse processo leva de uma a quatro semanas para se completar. Contudo, ele acaba afetando muito o emocional da mulher. Portanto, muitas optam por acelerá-lo. Vários medicamentos podem fazer o organismo expelir o feto e, com isso, reduzir os efeitos colaterais, tais como náusea e diarreia. Em 70 a 90% das mulheres, esse tratamento age dentro de 24 horas.

  • Se a hemorragia ou a infecção forem muito graves, um procedimento cirúrgico será necessário. Nele, o médico vai dilatar o cérvix e remover os tecidos de dentro do útero. Esse procedimento poderá prejudicar a parede uterina, mas, felizmente, tais complicações são muito raras.

Prepare-se para os efeitos colaterais causados por um aborto espontâneo.

Esteja preparada para lidar com os seguintes sintomas:

  • Dor nas costas (de leve a grave). 

  • Perda de peso.

  • Muco rosa claro.

  • Corrimento vermelho vivo ou marrom.

  • Sempre consulte um médico se qualquer um desses problemas piorar. É preciso lidar rapidamente com qualquer complicação ou infecção.

Tome todos os medicamentos. Após um aborto, o médico certamente vai receitar vários deles. Eles servem para prevenir infecções e ajudar no controle da dor. Sempre siga todas as instruções de dosagem e frequência.

A maioria dos remédios será prescrita para prevenir uma hemorragia. Quanto mais a gravidez estiver avançada, maior o risco dela ocorrer. O médico vai receitar um fármaco feito especificamente para que o sangue coagule e você não sangre em excesso. Tome todos os comprimidos de acordo com as recomendações. Se tiver quaisquer dúvidas, fale com o médico.

Se houver um perigo de infecção, o médico provavelmente vai receitar um antibiótico. Siga todas as instruções e não faça nada para prejudicar a ação do fármaco — como tomar bebidas alcoólicas, por exemplo.


Recuperação Emocional

  • Dê tempo ao tempo. O aborto espontâneo é uma experiência muito emotiva e traumática. É normal que você tenha um sentimento de perda. Portanto, permita-se ficar de luto pelo bebê. As emoções sentidas após o aborto são normais e podem ser muito intensas. Muitas mulheres sentem tristeza ou até mesmo raiva. Várias inclusive, equivocadamente, colocam uma culpa em si mesmas ou nas pessoas ao redor delas. Permita-se sentir tudo isso, até as emoções negativas. Esta é a maneira mais saudável de lidar com a situação e todos os sentimentos que ela acaba trazendo.

  • Não se esqueça dos hormônios; eles também são responsáveis por muitas coisas e acabam aumentando a intensidade das emoções. É normal ficar chorando por períodos longos de tempo após um aborto espontâneo. Falta de apetite e insônia também são problemas comuns.

  • Embora possa ser complicado lidar com as emoções, é preciso que você sinta todas elas. Lembre-se de que tais sentimentos são temporários. Com o passar do tempo, você vai começar a sentir um pouco melhor.

  • Peça o apoio das pessoas. Ter com quem contar é fundamental nessas horas, principalmente se a pessoa já passou pelo mesmo problema.

  • Os enfermeiros já viram muitos abortos espontâneos. Converse com o profissional que a atendeu e peça dicas de grupos de apoio. É muito complicado para os outros entenderem pelo que você esteja passando. Por isso, muitas mulheres preferem conversar com outras que já tiveram a mesma experiência.

  • Converse com os familiares e amigos para explicar tanto o que você esteja sentindo quanto o que espera que eles façam. Muitas mulheres precisam de apoio nesse momento, mas outras só querem um pouco de paz. Não há certo ou errado. Sinta o que você precisar sentir.

Esteja preparada para os comentários equivocados. Nem todo mundo sabe o que dizer para uma mulher que acabou de sofrer um aborto. Entenda que as pessoas não têm a intenção de magoá-la. Na ânsia de ajudar, familiares e amigos podem acabar dizendo a coisa errada.

Muitas vezes, a intenção dos comentários é fazê-la se sentir melhor. A mulher provavelmente vai ouvir muito: “Pelo menos a gravidez não estava muito avançada” ou “Você vai engravidar de novo rapidinho”. Se tiver outros filhos, as pessoas vão aconselhá-la a buscar conforto na presença deles. Ninguém percebe que esses comentários, na realidade, tentam negar a dor e não lidam com ela de maneira saudável. Lide com todos esses comentários sem ficar com raiva. Uma dica é responder: “Eu sei que você está querendo ajudar, e eu agradeço, mas esses comentários não estão ajudando”. A maioria das pessoas não quer ofender e, provavelmente, vai pedir desculpas.

Consulte um psicólogo, se necessário.

Recuperar-se emocionalmente de um aborto espontâneo leva tempo. Entretanto, se o problema aconteceu há meses e você continua se sentindo mal, é hora de buscar ajuda psicológica. Claro que um aborto é traumático! Por isso mesmo, a ajuda de um profissional poderá ajudá-la a superar esse pesar. Se tiver plano de saúde, ligue para eles e peça os contatos de psicólogos licenciados. Você também pode pedir uma indicação para o obstetra ou ginecologista. Caso sua situação financeira não permita arcar com as consultas, procure o SUS. Além disso, hoje em dia, algumas clínicas particulares já estão oferecendo preços populares.

Decida quando e se deve engravidar novamente.

A menos que o aborto seja resultado de um problema no sistema reprodutor, você poderá engravidar outra vez sem maiores problemas. No entanto, a decisão de quando fazer isso é apenas sua e depende de mil fatores. A Organização Mundial da Saúde recomenda esperar pelo menos seis meses antes de tentar uma outra gravidez. Contudo, medicamente falando, os benefícios de se adiar a concepção são poucos. Se você estiver se sentindo saudável e quiser tentar de novo, pode fazer isso assim que o ciclo menstrual voltar ao normal. Nesse caso, entenda que a ansiedade vem como parte do pacote. Muitas mulheres se preocupam com outro aborto. Portanto, você deve estar emocionalmente pronta para encarar outra gestação. Nos Estados Unidos, menos de 5% das mulheres sofrem dois abortos espontâneos consecutivos. A sorte está a seu favor. Tal fato certamente ajuda a lidar com a ansiedade. Se você já sofreu mais de dois abortos espontâneos, é melhor consultar um médico e pedir alguns exames. Se houver um problema e ele for diagnosticado e tratado, você aumentará as chances de levar a gestação até o fim.


Relato por : Pati Azevedo

Fonte: pt.wikihow

12 visualizações