• Patricia Azevedo

Pilates aplicado para lombalgia na gestação

Uma das queixas principais de grande parte das gestantes é a dor lombar, que ocorre em cerca de 50% das gestantes.


A lombalgia na gestação já é algo esperado pelos médicos, sendo considerada um desconforto, ela pode causar incapacidade motora, insônia, depressão, que impedem a gestante de levar uma vida normal.


Nesse texto iremos te apresentar como o Método Pilates pode ajudar suas alunas gestantes a melhorar esse sintoma e ter uma gravidez mais saudável e estável. Acompanhe!


A lombalgia na gestaçãoLombalgia-na-gestação-(4)

A lombalgia é um sintoma que afeta a área entre a parte mais baixa do dorso e a região glútea, podendo irradiar para os membros inferiores. Ela pode se apresentar de três formas: dor na coluna lombar, dor no quadril e dor combinada.


O bem-estar físico da futura mamãe, está diretamente ligado a ausência/mínimos graus de doença, incapacidade ou desconfortos, em especial, relacionados ao sistema musculoesquelético. O alívio da lombalgia na gestação deve ser preocupação dos profissionais de saúde na assistência pré-natal.


De fato, a lombalgia pode ser um sintoma, porém em graus maiores causa incapacidades, devendo ser considerada como doença, e ser tratada.


Com a desestabilidade na postura, durante a gravidez é necessário o Pilates para equilibrar o corpo da gestante dando mais estabilidade ao andar, ao abaixar, enfim ao fazer as atividades da vida diária e evitar a lombalgia na gestação.


Nesse período a coluna e as articulações sofrem um esforço desnecessário devido a posturas erradas, desencadeando dores lombares e nos membros inferiores que são a maior causa de reclamações por parte das gestantes.


Existem mudanças que ocorrem no organismo materno para o crescimento e o desenvolvimento fetal que estão relacionados aos ajustes fisiológicos e anatômicos. Tais mudanças ocorrem desde o início da gestação afetando assim o funcionamento de vários sistemas do corpo humano, como por exemplo o sistema circulatório, respiratório, digestivo, urinário, músculo esquelético entre outros.


Essas transformações necessitam de adaptações que podem causar dores e limitações em algumas mulheres nas suas atividades diárias. Por causa desse crescimento uterino, as curvaturas ósseas aumentam causando uma acentuação da lordose e da cifose.


A prática e benefícios do Pilates durante a gestaçãoLombalgia-na-gestação-(5)

O método Pilates tem uma proposta reabilitadora, aliando a prática física ao relaxamento mental. A meta de alcance do movimento eficiente, retorno dos movimentos funcionais e melhora da performance é o fundamento do Pilates evoluído, que na gestação acredita-se promover a saúde da mulher e do bebê.


A postura da gestante está influenciada pela modificação do centro da gravidade, que apresenta uma tendência em deslocar-se para frente, devido ao crescimento útero abdominal e aumento ponderal das mamas (Baracho, 2002).


O método do Pilates respeita o condicionamento de cada aluna, realizando variações de exercícios para as fases de iniciantes, intermediárias e avançadas. É necessário que os exercícios sejam acompanhados por um profissional com capacitação específica.


Outro cuidado importante é a execução correta dos exercícios e a postura adequada da aluna, uma vez que o objetivo não são as repetições excessivas e a utilização de peso excessivo.


O alinhamento corporal deve ser mantido para não reforçar a tendência natural da gestação de desalinhamento causado pela frouxidão ligamentar e excesso de peso. A descarga de peso precisa ser bem distribuída, pois do contrário a articulação sacro-ilíaca poderá ser sobrecarregada, gerando assim inflamação e dor.


Os benefícios do Pilates no começo da gravidez são no mínimo maravilhosos para o corpo e para a mente, já que restaram a saúde e o bem-estar preparando-a para o restante da gravidez.


Os exercícios no pré-parto reforçam a parede abdominal favorecendo a eliminação no trabalho de parto, previnem a separação dos músculos abdominais (Diástese), diminui a curva lombar causado pelo peso do abdômen, alongam e relaxam os músculos das tensões, estimulam a circulação e fortalecem os músculos das pernas e braços, melhoram o sono e a concentração, além da respiração e melhoram a oxigenação dos tecidos e do bebê.


Durante o parto esses benefícios se voltam para o nascimento sendo eles mais rápidos e com menor índice de partos cesariana, como também melhoram a postura corporal durante o trabalho de parto aumentando o relaxamento. Nos momentos finais do parto, permite um relaxamento do períneo e permite a passagem da criança com maior facilidade e menos dor.


Lombalgia-na-gestação-(6)


No pós-parto, acelera a recuperação reduzindo a incontinência urinária, constipação e melhora a circulação sanguínea, sendo que a musculatura volta mais rápido ao seu lugar.


Uma das maiores vantagens do exercício de Pilates é sem dúvida a respiração, pois os movimentos do método Pilates exigem concentração e respiração lenta e com isso a gestante torna-se mais centrada e calma levando a um reconhecimento dos sinais do próprio corpo. Na hora do parto, esse autocontrole irá ajudar a minimizar as dores, acalmar a tensão, equilibrar a pressão arterial e relaxar a musculatura


Para as gestantes o método Pilates serve como proposta de reabilitação aliada à higiene mental que se faz necessário para o bem-estar durante toda a fase gestacional nos movimentos funcionais promovendo a saúde como um todo da mulher e do bebê.


No caso da dor lombar que é o maior índice de queixa das gestantes, melhora a postura, a consciência corporal, circulação da região pélvica e reforço da musculatura e articulações.


Para isso, é necessário adaptar à rotina de exercícios para que se adeque a mudanças tão radicais no corpo como é o caso no período gestacional.


Exercícios de Pilates indicados para lombalgia na gestaçãoLombalgia-na-gestação-(2)

Exercício 1- “Assisted Squat” (com bola na parede)

Posição inicial: Em pé, apoiada com uma bola na parede, pés em rotação externa, pernas separadas.


Movimento: Enquanto inspira, agachar dobrando os joelhos, mantendo-os rodados para fora. Retornar subindo o corpo, esticando os joelhos na expiração. A bola movimenta-se para baixo e para cima junto com o corpo para dar assistência ao movimento.